Convite a comunicações

Conferência Internacional

Raça, Identidade e Mundialização. Desmentido, Dominações e Transformações

Um diálogo entre a Psicanálise e as Ciências Sociais

Lisboa 2-4 Novembro 2017

A globalização é um processo histórico de longo curso. Se por um lado favorece encontros, hibridização e trocas culturais, por outro lado é caracterizado por uma longa história de conquistas, violência e opressão, sustentada em ideologias que legitimam a superioridade de uns sobre os outros. As narrativas da “descoberta” e a noção de raça serviram para justificar a colonização e a escravatura. Mesmo depois da abolição da escravatura, da queda dos impérios europeus, da Declaração dos Direitos Humanos e das diversas convenções que proclamam a universalidade dos direitos humanos, continuamos a assistir à conjugação da exploração económica com velhas e novas formas de discriminação, baseadas no preconceito racial, social, religioso e sexual.

Num tempo de aceleradas e generalizadas mudanças, com a Europa e uma grande parte do mundo a ter de lidar com catástrofes ambientais, crises económicas e grandes fluxos migratórios moldados pela instabilidade económica e política, assistimos ao reacender de ideologias mais radicais que sustentam o apelo à identidade, ao fechamento de fronteiras e à racialização.

A intervenção psicológica com migrantes e refugiados revela não só o impacto das experiências de exclusão, expulsão e violência nos países de origem e nos de acolhimento, como também formas de sofrimento, pedidos de ajuda e necessidades sociais que são desconsideradas, desmentidas, silenciadas ou então patologizadas e medicalizadas.

O 2º Colóquio Internacional Raça, Identidade, Mundialização que terá lugar no ISPA – Instituto Universitário, Lisboa, nos dias 2, 3 e 4 de Novembro de 2017, destina-se a reflectir sobre estas problemáticas. Psicólogos, psicanalistas, antropólogos, sociólogos, historiadores, economistas e juristas de diferentes países, bem como decisores políticos e actores da sociedade civil local são chamados a reunir-se para discutir as implicações e as malhas que se entretecem entre violência colonial, contradições pós-coloniais e desafios contemporâneos da cidadania e da coabitação. Especialistas portugueses e internacionais nos domínios da história colonial, migração, linguagem, racismo, saúde mental e educação irão partilhar as suas investigações e reflexões sobre o que permanece como o legado não resolvido do colonialismo e as formas inconscientes como opera no tecido social. As sessões plenárias são em português e em inglês.

Convidamos todos os que partilhem destes interesses, nos diversos domínios enunciados, a submeterem comunicações orais ou posters. Embora seja dado algum relevo à experiência portuguesa, propostas vindas de outros países serão bem-vindas. Aceitaremos propostas de diversas abordagens teóricas e metodológicas, que ofereçam contributos sobre as consequências dos processos coloniais e pós-coloniais nas diversas configurações que impregnam as formas actuais de cidadania, quer na perspectiva dos migrantes, quer na dos nacionais dos países de acolhimento. Serão particularmente bem vindas as propostas que reflictam numa perspectiva crítica a intervenção na clínica, na educação, na saúde ou nas diversas formas da governação.

Os sumários e as apresentações podem ser em português ou em inglês.

As submissões de abstracts deverão ser enviadas até dia 20 de Outubro de 2017 para o email: abstracts@cirm2017.com.  

Para mais informações consulte as normas de submissão de trabalhos.