Eventos Pré-Colóquio

Deter migrantes em Portugal: Quebrar o velo de silêncio | Debate

29 Setembro | 19.00H | Casa Mocambo | Rua de Vale de Santo António nº 122A

ENTRADA LIVRE

 

Francesca Esposito (Moderadora) | psicóloga clínica e comunitária, desde 2009 desenvolve trabalho de investigação e advocacy sobre a detenção de migrantes (em Italia e em Portugal), desde uma perspectiva crítica e feminista

Alì Murtaza | nasceu no Paquistão, em Parachinar (Kurram Agency), perto da fronteira com o Afganistão. Em 2015 começa a sua viajem que o leva até Portugal, onde apresenta pedido de asilo político e é detido de maio a julho de 2016

Vera Silva | antropóloga com investigação sobre as prisões para as mulheres no contexto português com uma perspectiva feminista e anti carcerária. Desde 2001 que participa e co-organiza ações e intervenções feministas em diferentes grupos e associações

Vladimir Vaz | jurista e advogado-estagiário, natural de Cabo Verde. Colabora a vários projetos com diversas organizações locais ligadas à defesa dos direitos de migrantes e refugiad@s

 

A detenção está a proliferar como resposta governamental à mobilidade humana num cenário global caracterizado por crescentes preocupações com a segurança interna e uma correspondente criminalização da migração. No entanto, muit@s, entre ativistas, academic@s e membros das organizações da sociedade civil, têm denunciado esta prática, definindo os centros de detenção como “contextos de excepção, onde os regimes policiais prevalecem sobre os regimes de direitos.”.
Em Portugal, a prática de confinar as pessoas devido ao seu estatuto migratório, tem origens relativamente recentes. Remonta a 2006 a abertura do primeiro centro de detenção – denominado Centro de Instalação Temporária – na cidade do Porto. Desde então, outros cincos Centros de Instalação Temporária foram abertos dentro dos principais aeroportos nacionais, nomeadamente Porto, Lisboa, Faro, Funchal e Ponta Delgada. Embora este centros existam já há vários anos e muit@s migrantes continuem a ser aí confinad@s, em Portugal existe muito pouco debate acerca deste tema. 
O objetivo deste encontro é proporcionar este debate, quebrar o silêncio e dar a conhecer a realidade destes lugares de encarceração onde, para além de adultos, também crianças se encontram detidas. Antes da conversa terá lugar a projeção de um documentário sobre centros de detenção para migrantes na Itália, “Lettere dal CIE” (2015), de Mario Badagliacca.